24/02/2016

Livro da Vez: Vidas Secas, Graciliano Ramos

 Graciliano Ramos, um dos maiores escritores brasileiros, nasceu em 1892 na pequena Quebrangulo, Alagoas. Faleceu no ano de 1953. Deixou um legado cultural que inclui obras como Caetés, Histórias de Alexandre e Memórias do Cárcere. Graciliano foi preso no ano de 1936 acusado de envolvimento com o Comunismo. O romance Vidas Secas é considerado sua obra mais importante.



Vidas Secas fala da luta de Fabiano e sua família – Sinha Vitória, 2 filhos pequenos  e a cachorra Baleia - para sobreviver à seca. E o modo que encontram é perambular pelo sertão como retirantes em busca de trabalho, abrigo e comida.

Algumas descrições são tão realistas que mais parecem uma pintura do que um livro. Através das palavras do Autor dá pra sentir o nó da madeira na cama de varas de Sinha Vitória; é possível sentir os calcanhares machucados de Fabiano e impossível não se afeiçoar à cadela vira-lata, tantas vezes humanizada ao longo da história.

A narrativa não termina como um conto de fadas e a família se vê obrigada a continuar fugindo da miséria trazida pela seca.  Mas, em meio ao que parece destino de andar em círculo de dor, o casal é capaz de apoiar um ao outro e vislumbrar um futuro diferente. E assim conclui com uma mensagem implícita de resiliência e esperança.




 “Pouco a pouco uma vida nova, ainda confusa, se foi esboçando. ... Iriam para diante, alcançariam uma terra desconhecida. Fabiano estava contente e acreditava nessa terra, porque não sabia como ela era nem onde era.” 

Abraço e boa leitura!

Este é o livro número 1 do Projeto 16 Livros em 2016.