11/02/2016

Faz Sentido Ensinar Caligrafia Nos Dias de Hoje?

No mundo cada vez mais digital em que vivemos, o uso da escrita à mão diminuiu ao ponto de levar alguns educadores a questionar sobre a necessidade de ensinar a letra cursiva.

Reconheço que os meios eletrônicos de leitura e escrita estão cada vez mais presentes na vida de nossos alunos. E podem ser, portanto, ferramentas úteis no processo de alfabetização. 

Ainda assim, penso que a escrita à mão não é apenas um exercício motor, mas também um estímulo para a mente. A letra cursiva, diferente da palavra impressa, leva um pouco de nós. É uma expressão de nossa individualidade. 

Justamente por se tratar de uma expressão individual, creio que precisamos respeitar o traço natural da criança por não exigir que sua letra seja igual à dos cadernos de caligrafia. Em vez de classificarmos as letras como "bonita" ou "feia", podemos ajudar os alunos a perceberem a diferença entre letra legível e ilegível. Alguns alunos admitem prontamente que sentem dificuldade em decifrar a própria letra. Este pode ser o gancho para apresentarmos as atividades de caligrafia.

Dependendo do contexto em que estão inseridas tais atividades podem ser enriquecedoras e até divertidas.

Segue alguns modelos de atividade.




Abraço e até a próxima!